quarta-feira, 19 de julho de 2017

«AUTOGOLO» . Por Ana Ana Filipa Gomes Ferreira

«AUTOGOLO

Signal Iduna Park. 19 horas, 45 minutos. Um apito curto que coloca as pernas de 22 em movimento e o coração de milhões aos saltos. Ao fundo, um muro amarelo. Quente, vibrante, impenetrável. Mágico. Verdadeiramente mágico. Um amarelo que ri e que chora. De alegria e de tristeza. Um amarelo que sente e sentido. Infalível. Um amarelo que ama e não falha. Que grita e não se cansa.
Um cai, outro perde a bola. Um lesionado e um fora de jogo assinalado.
Se eu, pequeno e despercebido pedaço de amarelo, vos pudesse dizer algo antes daquele apito curto? Não esperem um ‘boa sorte’. Pedir-vos-ia que sejam aquilo que vos torna únicos. Aquilo que são antes de serem grandes no futebol e de me arrepiarem os braços com os pés. Que sejam humanos e que não levem convosco apenas o talento que deslumbra o amarelo e o azul, o verde e o vermelho. Porque o mundo se rende a vocês. Que levem os valores que fazem de nós humanidade e que honrem o símbolo que têm ao peito. Mostrem o que é garra, paixão, foco e determinação. O que é amor, ambição e gratidão. Mas, acima de tudo, façam jus à palavra que carregam no braço 90 minutos. RESPECT. Mostrem que somos mais do que duas pernas, do que dois pés, do que assistências e do que golos. Mais do que dinheiro, somos humanos. Mais do que vitórias, somos humanidade. Lembrem-se que os vossos pés não espelham apenas a arte do futebol. Carregam ideias. E as ideias pesam tanto como uma bomba. E quando sentirem vontade de insultar, de humilhar ou até mesmo de desistir, mostrem-se verdadeiros campeões. Sejam grandes. Sejam diferentes. Sejam melhores. Sejam humanos.

45+3. O Borussia de Dortmund está a perder por uma bola, em casa. O muro amarelo chora mas não quebra.
Deste lado, aqueles que vos admiram não vos irão falhar. Há um mundo a seguir-vos e há por isso a responsabilidade de serem um exemplo. De contribuírem para a construção de um mundo melhor. Não nos falhem.
Deste lado faremos o mesmo. Estaremos convosco sem que isso implique estar contra os outros. Estaremos cá para defender o amarelo sem odiar o vermelho e o verde. Partilhamos muito com o adversário. Em lados opostos, mas sentimos o mesmo. Em lados opostos, mas o foco é o mesmo. A paixão, a lealdade, e o orgulho estão em cada canto deste estádio. Sairemos daqui de coração cheio, ainda que percam, se derem tudo em campo, se jogarem como os grandes e se forem grandes. Grandes mas humildes, grandes mas honestos. Grandes mais leais. Essa é a verdadeira grandiosidade. Este é o verdadeiro futebol. O verdadeiro desporto. Ético e livre. Acessível a todos. Sem medos.
Grande penalidade convertida por Aubameyang e golo de Bartra. O Dortmund vence por 2-1.
Ao fundo, um muro amarelo. Um uníssono e longo aplauso dirigido aos adeptos adversários que souberam ganhar e perder. Um aplauso ao Dortmund que soube Ser. Humano.
Que grande metáfora de vida é o futebol, cheia de ataques e defesas. De autogolos e golos do meio campo que nos levam a uma só final: sermos humanamente campeões.»

Texto premiado com o 1.º lugar, a nível nacional, no Concurso literário Ética na vida e no desporto.

terça-feira, 18 de julho de 2017

O texto de Ana Ferreira, “Autogolo” vence Concurso Literário “A Ética na Vida e no Desporto"

Ana Filipa Gomes Ferreira, do 12.º CT4, venceu a V Edição do Concurso Literário “A Ética na Vida e no Desporto” e ganha uma viagem à Grécia.

 O concurso “A Ética na Vida e no Desporto” é promovido pelo Instituto Português do Desporto e Juventude, através do Plano Nacional de Ética no Desporto, com o apoio do Jornal Desportivo “A Bola”, a Direção-Geral da Educação/Desporto Escolar, a Direção - Geral de Reinserção e Serviços Prisionais e o Comité Olímpico de Portugal.

A participação da aluna neste concurso enquadra-se num conjunto de atividades promovidas pelo Departamento de Educação Física, pela Biblioteca Escolar e pelo docente de Português da jovem, que culminou com a realização de uma palestra pelo jogador de futebol Tarantini (Ricardo Vaz), antigo aluno desta instituição.

Para além de ver o seu texto, intitulado “Autogolo”, publicado no jornal ”A Bola”, ganha uma viagem para duas pessoas à Grécia, que inclui visita à Academia Olímpica Internacional, e um diploma com o design da primeira página do referido jornal desportivo.

A Escola Secundária congratula-se com está vitória e felicita a aluna, acrescentando que o texto vencedor será divulgado no blogue da Biblioteca Escolar, “Ler Porque Sim”, depois de publicado no jornal “A Bola”.

Texto da aluna no jornal “A Bola”: http://www.abola.pt/nnh/ver.aspx?id=682433


quinta-feira, 11 de maio de 2017

Encontros com Encarregados de Educação [Semana da Leitura]

A Encarregada de Educação, D. Rosa Sampaio, falou de histórias dentro de livros aos alunos do 9º C. "O Principezinho" de Antoine de Saint-Exupéry foi um dos livros desvelados:

"O essencial é invisível para os olhos."





A BE agradece o envolvimento da Associação de Pais e Encarregados de Educação nesta iniciativa.

terça-feira, 9 de maio de 2017

"filhos de humanizado sal" de José Gonçalves [Semana da Leitura]


Encontro com José Gonçalves, autor de "filhos de humanizado sal". 


"A Poesia é uma arma carregada de Futuro" Gabriel Celaya [Semana da Leitura]


As alunas, do 12º ano, Bárbara Abrunhosa, Beatriz Sousa, Carina Lopes e Sandra Pinheiro recitaram poemas de Alexandre O'Neill, António Gedeão, Eugénio de Andrade, Mário Cesariny, Manuel Alegre e Sophia de Mello Breyner Andresen acompanhadas de João César Monteiro (Sophia de Mello breyner Andresen, 1969).
Que bonito! 






















Recital de Poesia & Filme poético