segunda-feira, 20 de maio de 2013

Os ciganos


Se reparares, este livro tem uma particularidade, tem dois autores, um já falecido e outro vivo! Trata-se de uma obra inacabada de Sophia de Mello Breyner Andresen, entretanto terminada pelo seu neto, Pedro Sousa Tavares.                             
                           

Entre os milhares de papéis da minha Mãe com que lidei nos últimos três anos existiam, evidentemente, vários inéditos. Um deles era este início de um conto, já intitulado Os ciganos.  Foi localizado, entre os papéis do espólio, na primavera de 2009. (…) Tendo em conta a evolução da caligrafia, foi possível, por comparação, situá-lo em meados dos anos 60" ( Maria Andresen de Sousa Tavares)

                  Começou Sophia: "Era uma casa muito desarrumada onde morava um rapaz muito desarrumado. E o rapaz tinha a impressão de que não fora feito para morar naquela casa.(...) Ele estava preso nos muros da sua casa, nos horários dos seus relógios e nas ordens da sua família ."
 Ruy sentia-se sufocado dentro dos muros da sua casa e da atenção de todos, o que não o deixava respirar liberdade. Até que um dia um circo de ciganos o veio despertar dessa insatisfação em que vivia e, à revelia de todos, " Ruy seguiu os ciganos" e  refugiou-se na carroça  deste grupo nómada. 
Continuou Pedro Sousa Tavares:" Nesse instante, as pernas saltaram-lhe para a frente, como se o corpo fosse agora uma marioneta, obedecendo a alguma força superior" e torna-se um gadjó, um " que não é igual a nós". 
 O resto..., bem, o resto da história está à tua espera na tua BE!

Sem comentários:

Enviar um comentário