quarta-feira, 10 de abril de 2013

Mais uma onda de mar salgado...



MAR

Pudesse alguém possuir
Esse teu vasto e inimaginável
Domínio indomável
E, do qual, jamais, alguém poderá fruir; 

Pudesse eu ser tu, ó mar,
E tudo poderia
Ser o que nunca tivera sido
Meu, por em ti não puder mandar.

Aquele que governa
Os céus, a ti entregara
A força e beleza eterna
De um Mundo que em ti se refugiara.

Tão enigmático, por certo,
Como aquele que, por nevoeiro,
Se encontra Encoberto
Tu enlaças um Mundo inteiro.

                     Andreia Queirós12ºCT3

Sem comentários:

Enviar um comentário